Pular para o conteúdo principal

Cuidado Com A Imprensa (da) Nanica I






Segunda-feira passada, eu estava navegando pela Internet em busca de algum conteúdo sobre os temas "controle social", "web 2.0" e "compras governamentais" para ilustrar minha participação na conclusão no "Ciclo de Formação em Compras Governamentais", programa de formação para o servidor público paulista, ministrado pela Fundap, em colaboração com a tecReg.

Para minha sorte, acabei encontrando um exemplo que, sozinho, cobriu  os  três assuntos que eu procurava. Novamente, a inspiração veio do Reino Unido, mais precisamente de Argyll, região localizada no oeste da Escócia.

Após realizar um "texto jornalístico" para um trabalho escolar, a pequena  Martha Payne, de apenas 9 anos de idade, seduzida pela experiência, comentou com seus familiares que gostaria de escrever como jornalista diariamente e desde já.

Conversa vai, conversa vem, chegaram a conclusão que fazer um blog seria uma boa alternativa. O tema seria a merenda escolar, que segundo a espevitada garota era muito pequena e demasiadamente gordurosa, muita pizza, hambúrgueres e frituras, poucas verduras e nenhuma fruta.

Muito criativa, Martha, que batizou seu blog de NeverSeconds, algo como  "nunca repita o prato", começou a fotografar e avaliar a merenda diariamente. Além da nota, ela escolheu alguns indicadores complementares, número de garfadas (para medir o tamanho da porção) e o número de fios de cabelo encontrados (para medir o asseio).

Em uma de suas primeiras postagens, Martha comentou, com certa dose de ironia, que, finalmente, seu pai compreendia por que ela chegava em casa com fome.

A repercussão doméstica, neste caso, foi fichinha, perto do que estaria por vir. O impacto do blog, que observou um vertiginoso aumento de audiência com o passar do tempo,  acabou por encalacrar, o próprio poder público. Como quase sempre ocorre nestes casos, o governo, mais precisamente o Conselho de Argyll e Bute, surpreendido pelos acontecimentos, adotou uma frágil  postura defensiva, afirmando que a merenda não tinha qualquer problema. Para provar isto, alguns membros do Conselho foram visitar a escola, acompanhados de jornalistas.

A postagem da Martha, no dia da visita, foi emblemática. "Pela primeira vez eu vi no almoço tomates-cereja, rabanetes, cenouras e pedaços de pepino. Eu escolhi macarrão com queijo, purê de batatas, pepino e pimentões. O macarrão com queijo é sempre bom, mas eu comeria mais. Hoje me perguntaram pela primeira vez:- É suficiente para você?"

A partir daí, a merenda melhorou, ainda que de forma inconstante, segundo a garota.

A pequena Martha, com seus nove aninhos, está dando uma aula de controle social, mostrando como um simples e despretensioso blog, pode ajudar a melhorar e tornar mais saudável a merenda escolar, sem que o estado necessite gastar um só centavo a mais para ampliar a burocracia destinada a fiscalização, que, como sabemos, nem sempre, ou melhor, quase nunca, cumpre seu papel.

Se você pensa que a coisa ficou por aí, clique aqui para ver a segunda parte deste post.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 Dicas para Prefeitos Inovadores

Em poucos dias, prefeitas e prefeitos eleitos em outubro passado estarão assumindo seus mandatos. A princípio, sejam eles iniciantes ou reconduzidos, o cenário que os aguarda está mais para drama do que para comédia.

Isto por que, na maioria dos 5563 municípios brasileiros, independente de porte ou localização, há um imenso descompasso entre as legítimas demandas da sociedade e a capacidade do poder público em atendê-las. Dificuldades de gerenciamento, aliadas a um processo civilizatório excludente, resultaram  em  uma triste realidade na qual poucos municípios brasileiros possuem, em pleno século XXI, índices de desenvolvimento humano - IDH considerados satisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU.
Bem, a choradeira para por ai. O que gostaríamos de falar, daqui para a frente, para prefeitas e prefeitos bem intencionados e que queiram, de fato, mudar o filme, é que as grandes alterações que estão ocorrendo no mundo, estão abrindo novas oportunidades para os municípios, não im…

Design Thinking em Governo: abrem-se os caminhos

Temos dedicado muito tempo de nossas pesquisas na avaliação da metodologia de Design Thinking, adaptada a governo para apoiar a inovação, na tentativa de adotá-la para a criação e reformulação de serviços públicos. O Pepe já havia comentado aqui anteriormente sobre Roger Martin e o Design de Negócios, bem como nos trouxe uma trilogia de posts ( 1, 2 e 3 ) apontando a aplicação que pode ser dada ao tema em governo, baseado também na obra de Tim Brown e nos cases da IDEO.

Nossas impressões foram confirmadas com a recente publicação de dois trabalhos que a IDEO realizou junto a The Partnership for Public Services, entidade não governamental que trabalha para produzir inovação em governo nos EUA. Essas publicações, que considero leitura obrigatória, estão dirigidas a dois públicos distintos:


Innovation in Government: para todos envolvidos em inovação, é uma agradável e bem organizada leitura que introduz o assunto inovação em governo, baseada em depoimentos de especialistas, apresentando …

Habilidades e Atitudes do Novo Gerente

Os gerentes que, ao longo dos próximos anos, ambicionarem progressos consistentes em suas carreiras deverão dedicar particular atenção à readequação de suas competências e habilidades, recalibrando-as no sentido da chefia tradicional para a liderança de equipes, do “mandar” para o “convencer”, do “eu ganhei, nós empatamos e vocês perderam” para o “tamo juntos”, só para exemplificar.
Esta, seguramente, não será - ou não tem sido, para aqueles que já iniciaram essa caminhada - uma mudança fácil, pois envolve, além de crescentes esforços de atualização no âmbito estritamente técnico, uma profunda remontagem nos modelos mentais tradicionais.
No campo técnico, a rápida e incansável diminuição no ciclo de vida de processos e produtos tem colocado, cada vez mais, a aprendizagem continuada na ordem do dia. O know-how dos colaboradores e, por consequência, das organizações, sofre ataques praticamente diários que empurram a atividade “aprender” para dentro da “folhinha de produção”. Nesse cenário…