Pular para o conteúdo principal

O Futuro Segundo Meu Caderninho Virtual

Fonte da Ilustração: formatotxt.blogspot.com/

Aqui e ali, ainda de forma algo nebulosa, já podemos captar sinais de como serão as organizações do futuro, principalmente daquelas envolvidas com atividades de ponta, onde o cérebro fala mais alto do que o músculo.

Estas pistas, todavia, não permitem ainda desenhá-las com segurança. Eu, pelo menos, não me arriscaria a fazê-lo.

É possível, no entanto, anotar em um "caderninho virtual" alguns insights de como será essa nova organização.

Nesta postagem quero falar de um desses indícios: o fim da organização hierárquica.

Tal como na guerra costuma-se dizer que a primeira vítima é a verdade, na organização centrada no conhecimento, a primeira baixa será a hierarquia exacerbada, ainda muito viva na maioria das empresas.

Faço essa anotação com bastante convicção. Pessoas com alta qualificação, com poucos anos no mercado de trabalho, ou que estejam ingressando nele nos dias atuais, estão cada vez menos dispostas a se submeter a hierarquias que dividem a empresa entre quem manda e quem cumpre.

Entidades com este perfil subutilizam a inteligência coletiva e sobrevalorizam a coerção de chefes sobre chefiados. Resultado: não conseguem gerar idéias, conhecimentos e produtos que as mantenham competitivas.

E por que não conseguem? Por que esse tipo de empresa perde, dia após dia, a capacidade de atrair talentos e, mais ainda, de retê-los.

Se no passado, com todas as restrições financeiras e tecnológicas, muitos talentos, inconformados, prefiriam montar uma "central de sonhos" na garagem de casa, ao invés de aguentar lorotas corporativas do tipo - sua idéia é boa mas não tem futuro - imaginem agora com a tecnologia barata e com uma azeitadíssima estrutura de apoio à start ups...

Tudo bem, tudo bem, isso é verdade, mas como gerir uma organização minando a hierarquia, poderia arguir aquele gerente mais ansioso.

Infelizmente, meu precupado gerente, essa estrada ainda está em construção e não temos, por ora, respostas prontas. E o que é pior, não sei se a estrada vai ficar pronta um dia e se existirão respostas prontas, em algum momento. Por agora, só sabemos que a estrada velha está muito esburacada e mal sinalizada.

Meu apreensivo gerente, muita calma nessa hora. Na minha próxima postagem, prometo abrir meu caderninho virtual na seção dos exemplos animadores.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 Dicas para Prefeitos Inovadores

Em poucos dias, prefeitas e prefeitos eleitos em outubro passado estarão assumindo seus mandatos. A princípio, sejam eles iniciantes ou reconduzidos, o cenário que os aguarda está mais para drama do que para comédia.

Isto por que, na maioria dos 5563 municípios brasileiros, independente de porte ou localização, há um imenso descompasso entre as legítimas demandas da sociedade e a capacidade do poder público em atendê-las. Dificuldades de gerenciamento, aliadas a um processo civilizatório excludente, resultaram  em  uma triste realidade na qual poucos municípios brasileiros possuem, em pleno século XXI, índices de desenvolvimento humano - IDH considerados satisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU.
Bem, a choradeira para por ai. O que gostaríamos de falar, daqui para a frente, para prefeitas e prefeitos bem intencionados e que queiram, de fato, mudar o filme, é que as grandes alterações que estão ocorrendo no mundo, estão abrindo novas oportunidades para os municípios, não im…

Objetivos e valores do Laboratório de Inovação

Um laboratório de inovação em governo pode atuar desde a criação de novas políticas públicas até a prototipagem de serviços prestados ao cidadão. A diferença não se trata apenas de níveis da gestão (estratégica e operacional), mas também define o porquê deve existir o lab, sua estrutura, seus objetivos e quais valores irá agregar ao governo.

Objetivar amplitude e formas de atuação nos ajuda a relacionar quesitos, estabelecer limites e buscar as parcerias certas.

Antes de apresentar uma nova relação sobre os aspectos de construção do laboratório, como os aspectos projetuais colocados em post anterior, apresento uma lista que pode ajudar a definir com um pouco mais de formalidade e precisão, após respondido o checklist projetual, para que está sendo criado o laboratório e no que pode contribuir para um governo inovador.

A ideia é de que usemos essa relação para selecionar aqueles itens que se aproximam com os objetivos do lab que pretendemos construir ou significar, mantendo em mente o …

A vibe dos Laboratórios de Inovação em Governo e um checklist projetual

Tem emergido na área governamental, felizmente, a ideia de criar laboratórios de inovação como um ambiente de criatividade e solução de problemas do setor público.

Tive a oportunidade de ajudar a criar para o Governo de São Paulo, em 2015, o iGovLab, permitindo estudar e entender melhor as potencialidades e objetivos de um laboratório de inovação, aprender com erros e saber quais caminhos e com quais companhias devemos contar. Depois disso, nos colocamos a observar e apoiar outras propostas de laboratórios dessa natureza no governo paulista, como no Metrô, na Secretaria de Educação, na FATEC e mais recentemente na SEFAZ, além de auxiliar conceitualmente outros Estados e Municípios que tem essa intenção.

É raro que os entusiastas pelo tema em governo se perguntem para que fazer um lab dessa natureza, parece inerente pois nem explicam com clareza esse entusiasmo, desviar do porque esconde a falta de conhecimento mais profundo sobre seus desejos ou, pior ainda, estar seguindo um fluxo qu…