Pular para o conteúdo principal

Holanda tem avaliação de serviços públicos



Dentre as boas práticas em serviços eletrônicos que já citamos aqui, uma que tenho especial admiração é a de utilizar a internet para a avaliação de serviços públicos.

Iniciativas como as do Patient Opinion, exemplo recorrente quando o assunto é inovação em governo, trazem aos gestores públicos a luz no caminho de aumentar a participação e a transparência da gestão na vida da população. Entretanto, apesar da facilidade de implantação dessas práticas, há uma reconhecida resistência, quer pela exigência de preparo da infraestrutura burocrática, quer pela aparente satisfação com atuais métodos de avaliação dos serviços governamentais.

Notícias do iGov dão conta de que o Governo holandês criou um novo site onde os cidadãos podem votar e avaliar os serviços disponibilizados pelos organismos públicos. Denominado Wijwaarderen.nl, o site está alojado na plataforma Burgerlink.nl, criada com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços públicos com base na opinião dos cidadãos. O primeiro setor de governo escolhido para o lançamento do serviço de avaliação nacional é o da educação, onde os pais e alunos podem dar notas de um a cinco em diversos quesitos sobre as respectivas escolas, justificando a nota atribuída e propondo melhorias para o ensino público. Avaliar outros serviços também já é possível no ambiente de testes em https://www.testmetbest.nl/.

Se os governos brasileiros adotassem iniciativas semelhantes, iniciando pela educação, o que teríamos ? A curto prazo, o desespero de dirigentes diante da demanda por melhores condições de aprendizado e ensino; a médio prazo, o envolvimento de pais, alunos e professores na gestão escolar; a longo prazo, um ensino decente, não atrelado a fornecimento de livros e merendas, mas comprometido em preparar gerações para o comando técnico e especializado que o país já sente a falta e ainda se agravará em breve.


A OCDE - Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico classifica o ensino público da Holanda em 9o. lugar, enquanto o Brasil amarga a 54a. posição no mesmo ranking. Não é preciso esforço para imaginar qual país tem melhores condições de futuro a longo prazo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 Dicas para Prefeitos Inovadores

Em poucos dias, prefeitas e prefeitos eleitos em outubro passado estarão assumindo seus mandatos. A princípio, sejam eles i niciantes ou reconduzidos, o cenário que os aguarda está mais para drama do que para comédia. Isto por que, na maioria dos  5563 municípios  brasileiros, i ndependente de porte ou localização , há um imenso  descompasso entre as legítimas demandas da sociedade e a capacidade do poder público em atendê-las.  Dificuldades de gerenciamento, aliadas a um processo civilizatório excludente, resultaram  em  uma triste realidade na qual poucos municípios brasileiros possuem, em pleno  século XXI,  índices de desenvolvimento humano - IDH considerados satisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU. Bem, a choradeira para por ai.  O que gostaríamos de falar, daqui para a frente,  para prefeitas e prefeitos bem intencionados e que queiram, de fato, mudar o filme, é que as  grandes alterações  que estão ocorrendo no mundo, estão abrindo  novas oportunida

Quem Fica Olhando Muito Para Trás, Tem Um Grande Passado Pela Frente

A frase que dá título a este post, proferida pelo grande filósofo e professor Mario Sergio Cortella, deve servir de alerta a muitos de nossos prefeitos.  A maioria deles ainda enxerga a atração de indústrias como o único caminho para o desenvolvimento de uma cidade. Esta visão, formada nos tempos em que fábrica era sinônimo de riqueza, tem feito com que novas oportunidades de crescimento, vinculadas a uma economia cada vez mais pujante, centrada no conhecimento, o mais valioso insumo dos nossos dias, não sejam devidamente estudadas, exploradas e aproveitadas. O que os senhores prefeitos precisam descobrir, desde já, é que nos dias atuais há uma nova "estrada", ainda mal sinalizada, para cidades que almejam um papel de destaque na emergente sociedade do conhecimento. De antemão, asseguro que para chegar a ela não basta usar a velha e onerosa prática de atrair empresas. O sucesso para galgar essa nova "estrada" depende da atração de talentos, pesso

Design Thinking em Governo: abrem-se os caminhos

Temos dedicado muito tempo de nossas pesquisas na avaliação da metodologia de Design Thinking, adaptada a governo para apoiar a inovação, na tentativa de adotá-la para a criação e reformulação de serviços públicos. O Pepe já havia comentado aqui anteriormente sobre Roger Martin e o Design de Negócios, bem como nos trouxe uma trilogia de posts ( 1 , 2 e 3 ) apontando a aplicação que pode ser dada ao tema em governo, baseado também na obra de Tim Brown e nos cases da IDEO . Nossas impressões foram confirmadas com a recente publicação de dois trabalhos que a IDEO realizou junto a The Partnership for Public Services , entidade não governamental que trabalha para produzir inovação em governo nos EUA. Essas publicações, que considero leitura obrigatória, estão dirigidas a dois públicos distintos: Innovation in Government : para todos envolvidos em inovação, é uma agradável e bem organizada leitura que introduz o assunto inovação em governo, baseada em depoimentos de especialistas, a