Pular para o conteúdo principal

Transparência Olímpica

Então a cidade do Rio de Janeiro será a sede das Olimpíadas de 2016 e, deixando de lado a inundação de notícias que alagou toda a mídia durante essa semana, caímos na real e não nos deixemos iludir pelos argumentos do quanto isso é bom para a economia, para a imagem do país ou para o esporte.

Ainda não temos uma política de esportes, mais de 95% das escolas não tem nenhuma quadra para a prática esportiva. Na economia, é contar com o ovo na galinha, se tomarmos o que aconteceu em Montreal, sede olímpica de 1976, vemos que a cidade canadense só acabou de pagar as contas do evento em 2006. Quanto à imagem, que afaste não somente as questões de segurança mas, essencialmente, os riscos de corrupção... bem, isso deve começar imediatamente... e parece que começou.

A prefeitura da cidade do Rio lança hoje o site Transparência Olímpíca, no qual promete prestar contas de onde vem e para onde vai o dinheiro despendido (ou investido, para os incautos) na montagem das Olimpíadas de 2016. Comentando o site, prefeito Eduardo Paes afirmou ao JBOnline:
"Pretendemos colocar esse site para incluir o planejamento estratégico da Prefeitura. O site servirá para consulta do que está sendo gasto, de onde vem e em que está sendo aplicado o dinheiro."
Torço, como se fosse por uma medalha de ouro para a equipe nacional, que o site traga as informações reais e compreensíveis, a exemplo do site Recovery, criado pela Casa Branca para que o cidadão acompanhe o caminho do dinheiro da recuperação econômica americana. É importante aceitar o princípio de que a transparência não é apenas a informação se encontrar disponível, é fazê-la compreensível ao cidadão comum.


Post post>> Um anônimo comentou (no link abaixo do post) indicando que o site dispõe de API's, que são pequenos aplicativos que permitirão o acesso e a mesclagem dos dados do site. Estão em API Transparencia olimpica.

Comentários

Anônimo disse…
O site expõe uma API de consulta dos dados em tempo real, dessa forma é possível criar um ecosistema de sites que acessam diretamente os dados do transparenciaolimpica.com.br e que podem servir como auditores dos gastos da olimpiada até então.

API Transparencia olimpica
Sônia Silvino disse…
Olá, Administrador! Concordo plenamente com você sobre as Olimpíadas. Não me iludo. Não é pessimismo. É realismo. A corrupção se espraia nesse país e nós precisamos acordar, ficarmos em alerta e parar de acreditar nesses caras que pensam que somos todos imbecis. Seu blog é muito interessante. Vou segui-lo. Abraços, Sônia Silvino.
Alvaro Gregorio disse…
Olá Sônia,

Nossa realidade dá provas que devemos ficar alertas ao tratar do dinheiro público. É estranha a comemoração, por exemplo, de que o governo federal empresta dinheiro ao FMI e dá calote no contribuinte do IR.
Cautela, canja de galinha e transparência são recomendadas.
Grato pelo comentário.

Alvaro Gregorio

Postagens mais visitadas deste blog

10 Dicas para Prefeitos Inovadores

Em poucos dias, prefeitas e prefeitos eleitos em outubro passado estarão assumindo seus mandatos. A princípio, sejam eles iniciantes ou reconduzidos, o cenário que os aguarda está mais para drama do que para comédia.

Isto por que, na maioria dos 5563 municípios brasileiros, independente de porte ou localização, há um imenso descompasso entre as legítimas demandas da sociedade e a capacidade do poder público em atendê-las. Dificuldades de gerenciamento, aliadas a um processo civilizatório excludente, resultaram  em  uma triste realidade na qual poucos municípios brasileiros possuem, em pleno século XXI, índices de desenvolvimento humano - IDH considerados satisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU.
Bem, a choradeira para por ai. O que gostaríamos de falar, daqui para a frente, para prefeitas e prefeitos bem intencionados e que queiram, de fato, mudar o filme, é que as grandes alterações que estão ocorrendo no mundo, estão abrindo novas oportunidades para os municípios, não im…

Design Thinking em Governo: abrem-se os caminhos

Temos dedicado muito tempo de nossas pesquisas na avaliação da metodologia de Design Thinking, adaptada a governo para apoiar a inovação, na tentativa de adotá-la para a criação e reformulação de serviços públicos. O Pepe já havia comentado aqui anteriormente sobre Roger Martin e o Design de Negócios, bem como nos trouxe uma trilogia de posts ( 1, 2 e 3 ) apontando a aplicação que pode ser dada ao tema em governo, baseado também na obra de Tim Brown e nos cases da IDEO.

Nossas impressões foram confirmadas com a recente publicação de dois trabalhos que a IDEO realizou junto a The Partnership for Public Services, entidade não governamental que trabalha para produzir inovação em governo nos EUA. Essas publicações, que considero leitura obrigatória, estão dirigidas a dois públicos distintos:


Innovation in Government: para todos envolvidos em inovação, é uma agradável e bem organizada leitura que introduz o assunto inovação em governo, baseada em depoimentos de especialistas, apresentando …

Habilidades e Atitudes do Novo Gerente

Os gerentes que, ao longo dos próximos anos, ambicionarem progressos consistentes em suas carreiras deverão dedicar particular atenção à readequação de suas competências e habilidades, recalibrando-as no sentido da chefia tradicional para a liderança de equipes, do “mandar” para o “convencer”, do “eu ganhei, nós empatamos e vocês perderam” para o “tamo juntos”, só para exemplificar.
Esta, seguramente, não será - ou não tem sido, para aqueles que já iniciaram essa caminhada - uma mudança fácil, pois envolve, além de crescentes esforços de atualização no âmbito estritamente técnico, uma profunda remontagem nos modelos mentais tradicionais.
No campo técnico, a rápida e incansável diminuição no ciclo de vida de processos e produtos tem colocado, cada vez mais, a aprendizagem continuada na ordem do dia. O know-how dos colaboradores e, por consequência, das organizações, sofre ataques praticamente diários que empurram a atividade “aprender” para dentro da “folhinha de produção”. Nesse cenário…