Pular para o conteúdo principal

Inovação em Governo na Europa

Aconteceu em Lisboa, no último setembro, a 4ª. Conferência Ministerial de eGovernment da União Européia na qual se entregaram os Prêmios Europeus de Inovação em Serviços Públicos através de implantação de TIC.
A premiação reconhece as melhores práticas em quatro áreas: i) Melhores serviços públicos para o crescimento e criação de emprego; ii) Participação e transparência; iii) Coesão e impacto social; e iv) Administração eficiente.

A seguir uma descrição breve dos quatro vencedores:

Melhores serviços públicos para o crescimento e criação de emprego
Holanda: HORECA1 - One Stop Shop for Hotel and Restaurant

Antes do HoReCa1 obter as licenças e alvarás necessários para abrir um bar, um hotel ou um restaurante em Amsterdam envolvia procedimentos difíceis, levados a cabo por mais de 18 autoridades holandesas. Mas a barreira para criar uma empresa está agora bastante mais condensada. Através do balcão de atendimento único do HoReCa1, os empresários de Amsterdam podem descobrir facilmente quais são os documentos que precisam e preencher um único formulário para obter sete licenças diferentes. O HoReCa1 conduziu a uma economia na ordem dos 1,6 milhão de euros por ano.


Participação e transparência
Noruega:
Mypage - Self Service Citizen
O Mypage é um portal do cidadão personalizado e seguro onde é possível para o cidadão acessar a vários serviços públicos num só local. É dada ainda a possibilidade aos cidadãos de controlarem a sua própria informação dentro dos vários serviços, promovendo-se a qualidade e transparência dos serviços públicos. O objetivo é que todos os serviços de maior interesse da administração pública, nas várias aéreas, estejam disponíveis no Mypage até 2009. A implementação deste projeto gastará perto de cinco milhões de euros.


Impacto social e coesão
França:
Besançon.clic
O objetivo do Besançon.clic é alcançar o maior número de pessoas possíveis, a fim de reduzir a infoexclusão. Embora a educação seja a prioridade principal da cidade de Bensançon, a população estudantil não é o seu único alvo. Desde 1999, têm sido implementadas algumas medidas como o financiamento de equipamento tecnológico a escolas primárias, hospitais, associações, lares de idosos e, mais recentemente, estabelecimentos de ensino no Senegal. Para além disso, foram desenvolvidas outras ações como a distribuição de um ebook pack a todos os alunos do 3.º ano do 1.º ciclo, incluindo um computador, e a abertura de acessos públicos multimídia nos limítrofes da cidade. Grande parte do material foi doado por empresas e reconstruído em centros de reabilitação de deficientes. O custo de implementação deste projeto ronda os 500 mil euros.

Administração eficiente e eficaz
Alemanha:
DVDV
O DVDV - Diretório da Administração de Serviços Alemão lista os serviços do Governo Eletrônico digitalmente. Em funcionamento desde 1º. de Janeiro de 2007, o projeto ajudou mais de 5.200 organismos de registro civil alemães a economizar perto de um milhão de euros por mês. O caso desenvolve uma infraestrutura confiável e segura baseada em protocolos abertos de Internet. Os seus custos de implementação foram avaliados em 300 mil euros.

Por último, o prêmio atribuído pelo público através de votação eletrônica coube ao projeto italiano Online Police Station, que permite aos cidadãos interargir com as autoridades policiais através da internet.
Conheça todos os 52 finalistas em melhores práticas de i-gov da Europa, clicando em
aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10 Dicas para Prefeitos Inovadores

Em poucos dias, prefeitas e prefeitos eleitos em outubro passado estarão assumindo seus mandatos. A princípio, sejam eles iniciantes ou reconduzidos, o cenário que os aguarda está mais para drama do que para comédia.

Isto por que, na maioria dos 5563 municípios brasileiros, independente de porte ou localização, há um imenso descompasso entre as legítimas demandas da sociedade e a capacidade do poder público em atendê-las. Dificuldades de gerenciamento, aliadas a um processo civilizatório excludente, resultaram  em  uma triste realidade na qual poucos municípios brasileiros possuem, em pleno século XXI, índices de desenvolvimento humano - IDH considerados satisfatórios pela Organização das Nações Unidas - ONU.
Bem, a choradeira para por ai. O que gostaríamos de falar, daqui para a frente, para prefeitas e prefeitos bem intencionados e que queiram, de fato, mudar o filme, é que as grandes alterações que estão ocorrendo no mundo, estão abrindo novas oportunidades para os municípios, não im…

Objetivos e valores do Laboratório de Inovação

Um laboratório de inovação em governo pode atuar desde a criação de novas políticas públicas até a prototipagem de serviços prestados ao cidadão. A diferença não se trata apenas de níveis da gestão (estratégica e operacional), mas também define o porquê deve existir o lab, sua estrutura, seus objetivos e quais valores irá agregar ao governo.

Objetivar amplitude e formas de atuação nos ajuda a relacionar quesitos, estabelecer limites e buscar as parcerias certas.

Antes de apresentar uma nova relação sobre os aspectos de construção do laboratório, como os aspectos projetuais colocados em post anterior, apresento uma lista que pode ajudar a definir com um pouco mais de formalidade e precisão, após respondido o checklist projetual, para que está sendo criado o laboratório e no que pode contribuir para um governo inovador.

A ideia é de que usemos essa relação para selecionar aqueles itens que se aproximam com os objetivos do lab que pretendemos construir ou significar, mantendo em mente o …

A vibe dos Laboratórios de Inovação em Governo e um checklist projetual

Tem emergido na área governamental, felizmente, a ideia de criar laboratórios de inovação como um ambiente de criatividade e solução de problemas do setor público.

Tive a oportunidade de ajudar a criar para o Governo de São Paulo, em 2015, o iGovLab, permitindo estudar e entender melhor as potencialidades e objetivos de um laboratório de inovação, aprender com erros e saber quais caminhos e com quais companhias devemos contar. Depois disso, nos colocamos a observar e apoiar outras propostas de laboratórios dessa natureza no governo paulista, como no Metrô, na Secretaria de Educação, na FATEC e mais recentemente na SEFAZ, além de auxiliar conceitualmente outros Estados e Municípios que tem essa intenção.

É raro que os entusiastas pelo tema em governo se perguntem para que fazer um lab dessa natureza, parece inerente pois nem explicam com clareza esse entusiasmo, desviar do porque esconde a falta de conhecimento mais profundo sobre seus desejos ou, pior ainda, estar seguindo um fluxo qu…